Hamburger Schule

Prólogo
No começo de sua carreira, os Beatles, ainda meio sem fazer nada da vida, desembarcaram na Alemanha e fizeram vários shows entre os anos de 1960 e 62 em alguns pubs da cidade de Hamburg. Por ser muito jovem, George Harrison foi até proibido de tocar em um desses cafofos, tinha só 17 anos e não podia “trabalhar” em casas noturnas. Nessa época, Hamburg era meio decadente, com altos índices de criminalidade e prostituição. Segundo Harrison, the naughtiest city in the world.
A lendária temporada da banda em Hamburg entrou para história da cidade. Mas não é sobre os Beatles que eu queria falar, e sim sobre Hamburg. Mas especificamente, sobre a Hamburger Schule. Creio que esta conexão com os Beatles tenha alguma coisa a ver com essa relação que a cidade criou com a música pop.
Die Hamburger Schule
Um dia estava lendo uma revista que era como a Super Interessante alemã, e trazia uma nota bem pequena sobre a Hamburg Schule. Eu nunca tinha ouvido falar e nem sabia que a Alemanha tinha um movimeno musical no rock “normal” (Krautrock…ganz anderes!)! Para mim, o que a música alemã tinha de rock´n´roll, o Kraftwerk tinha de orgânico. Mas estamos aqui para aprender, então eu fui pesquisar sobre esta “escola do rock”. Descobri muitas coisas interessantes, entre música, bandas e toda essa nova onda da Hamburger Schule, a fundadora do indie-pop alemão.
Ao fazer uma comparação com a Escola de Frankfurt, o jornalista Thomas Gross cunhou aos trancos e barrancos e talvez meio pretensiosamente, a Escola de Hamburgo em uma matéria no jornal TAZ sobre as bandas Cpt. Kirk &. e Blumfeld. A Escola de Frankfurt foi uma corrente  alemã de ilustres pensadores neomarxistas como Theodor Adorno, Max Horkheimer e Walter Benjamin, que desenvolveram os primeiros estudos sobre a indústria cultural como a conhecemos hoje, lá pelos 1930s.
Este grupelho anti-capitalista causou bastante furduço com suas teorias sobre a cultura de massas. Foi justamente esta posição política e anti-autoritária que o Thomas Gross achou semelhante na Escola de Hamburg: a teoria crítica de Horkheimer e Adorno teria inspirado as ideias das bandas de Hamburgo, o Diskursrock, o rock “politizado”, cujas músicas uniam letras intelectualóides com indie-pop gostosinho. Tudo bem que o Gross forçou a barra nessa analogia, mas ele viu uma coisa inédita mesmo acontecendo na cultura pop alemã e quis causar.
Blumfels e seus livros sobre a teoria crítica ali atrás
“Ich Bin Neu In Der Hamburger Schule”
Estamos no final dos anos 80 (o Muro de Berlin caiu em 89). O começo de um movimento musical você já sabe como é: tem sempre um pub onde músicos então frustrados e estudantes-que-queriam-ser-músicos se encontram para chorarem lamúrias. Na Escola de Hamburg não foi diferente, o pub se chamava Sorgenbrecher. Bandas como BlumfeldDie Goldene ZitroneOstzonensuppenwürfelmachenkrebs*Kolossale Jugend constituiam a gênese da “cena” hamburguesa, bem cool, cheia de idealismos quero-mudar-o-mundo. Até então eles não tinham álbuns gravados, muito menos contratos com gravadoras. E queriam cantar só em alemão.
Só depois da fundação do selo independente L’age d’Or, em 1988, as bandas da Hamburger Schule ganharam uma plataforma na “cena”. Começaram então a fundamentar a ceninha pop de Hamburg, e depois da Alemanha, abrindo portas para fanzines, selos, jornais, revistas com conteúdo “descolado”, enfim, proporcionando uma infra bacana para a cena e, acima de tudo, para bandas de rock que cantavam em alemão. A Hamburger Schule cimentou no país o interesse por esse novo tipo de música e atitude pop, o indie! Indie alemão!
Ao longo da década de 90 surgiram outras bandas em Hamburg e pelo resto do país que traziam as influências da HS. Abaixo vídeos de algumas delas:

Tocotronic

Como vocês podem ver pelo corte de cabelo, tá rolando uma coisa meio indie

Die Sterne

Esse é legal, recomendo

Virginia Jetzt!

Mais animadinho

Wir sind Helden

Bod Dylan feelings…Eles são os queridinhos da Alemanha.

*Traduzindo fica mais ou menos “caldos de sopa do leste causam câncer”

Esse post foi publicado em Cultura, Música. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Hamburger Schule

  1. Pingback: Dica de bandzinha: BOY « Die Karambolage

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s