Pastel na Alemanha – um tributo

Essa imagem não vai me deixar dormir hoje

Rapaz, é duro o que vou confessar agora. Mas depois de quase 2 anos morando por aqui e de um processo de adaptação aos costumes alimentares alemães totalmente bem sucedido, cheguei numa fase de basta. E para completar, estou em condições fisiológicas que só pioram esse quadro de enjoamento. Ou seja, cheguei do Brasil – passei 5 semanas lá – sem paciência nenhuma para a comida alemã e com toda a fome do mundo para a comida do Brasa. Começando pelo pastel.

Ah, mais uma confissão: antes de vir para cá, sempre julguei as pessoas que ficam saudosistas demais com a comida do Brasil, do tipo de não conseguir viver sem brigadeiro (hello, com tanto chocolate bom e barato por aqui!) ou farinha (minha vantagem é que só como farofa) ou, sei lá, suco de umbu (aka brazil plum, aqui tem, pasmem). No mínimo achava que essas pessoas deviam voltar pro Brasil e parar de reclamar. Bem, eu ainda acho isso. Mas depois que voltei do Brasil e me deparei com aquele chucrute de repolho roxo com pedaços de maçã e carne de veado caçada por um alemão da gema (nós brasileiros não estamos acostumados mesmo à carne selvagem, só à carne geneticamente modificada dos porrudos bois e vacas da Pindorama!), não aguentei. Depois de uma rápida ida ao banheiro decidi que ia voltar às origens.

Me dou muito bem com outras cozinhas, principalmente asiática, e tenho muitos livros que fomentam no meu lar doce lar o cozinhar globalizado. Mas galero, a Alemanha é um país sem coxinha. Isso é muito grave e precisa ser consertado por meio de atitudes esporádicas, que vão causar muita sujeira na sua cozinha alemã, mas valerão a pena.

Então hoje eu estava num desejo louco, potencializado por essa imagem+receita estampada na primeira página do Uol hoje. Mas ehrlich gesagt amigo, quem é o doido que vai fazer massa de pastel do nada? Foi aí que fui em busca de um Ersatz, uma substituição para a massa de pastel que compramos congelada ou pré-congelada no Brasil. E eis que na primeira busca no orágoolo, já achei a solução para todos os meus problemas existenciais-friturais.

Maultaschenteig! Massa de Maultaschen!

Maultaschen é o raviolli alemão. E os alemães mais fervorosos defendem a tese de que Maultaschen é melhor que raviolli porque tem mais recheio e tal. Ok, vou me abster dessa discussão que coloca em primeiro lugar uma comida alemã e em segundo uma italiana. Mas é verdade que as Maultaschen são mais gordinhas sim. Olha aí:

Aí é o seguinte: eu achei dois posts muito prestativos nos blogs Caminhos da Lu e Retratos e Relatos que me revelaram esse segredo, que na verdade é super óbvio, o tipo de coisa “como não pensei nisso antes”!

Prometo que vou tentar essa semana e conto o resultado aqui no blog depois. Não vai ficar bonito como esse da foto do post (que é do site Basilico, by the way), mas de resultados estéticos e “gourmet pride” já tenho muito nas fotos super produzidas dos livros que possuo.

Mal sehen!

Esse post foi publicado em Comida, Costumes e marcado , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Pastel na Alemanha – um tributo

  1. Dayse Freitas disse:

    1- Égua, fiquei muito afim de encarar esse pastel ooooolha!!! Fiquei me debatendo toda só de pensa na delícia!

    2- Perdoa o Lucas. Deve estar com sérios problemas, o coitado.

  2. Emília disse:

    E aí, os pastéis?

    Gut gelungen?

    • Tamine Maklouf disse:

      Rapaz, nao achei a porra da massa de Maultaschen. Mas já tenho outra massa na manga.
      Eu e Estevao estamos pensando seriamente em comprar um Friteuse. Aì seria a morte…

  3. Luiz Alberto Fonseca disse:

    Tamine como faço para te mandar um e-mail?

  4. Lucas disse:

    lulista nojenta! praga!

    • Tamine Maklouf disse:

      Olha Lucas, aqui é o MEU blog e tu nao tens o MÍNIMO direito de me desrespeitar dessa forma, apenas porque minha opiniao é diferente da tua. Eu ia deletar esse teu comentário medíocre, mas achei melhor deixar para que vejam que o tipo de pessoa que vem me chamar de “lulista” nao merece nenhuma moral. Arruma outra forma mais inteligente de lutar pela tua causa, ok?

  5. Pingback: Tweets that mention Pastel na Alemanha – um tributo « Die Karambolage -- Topsy.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s