Filme: Mein bester Feind (2011) ★★★

Vi semana passada um filme bem bacaninha. Chama-se “Mein bester Feind” e tem o Moritz Bleibtreu no elenco. Na verdade, ele foi o principal motivo para assistí-lo, umas vez que sinopses como “família de judeus vai para campo de concentração” não me atrai muito.

Mas uma nova categoria de filmes alemães – os americanos já fazem há mais tempo – desponta agora no mercado internacional: comédias em campo de concentração. Há! Por essa você não esperava, hein?

Bleibtreu é Victor Kauffman, um judeu cuja família possui uma galeria de arte em Viena. Rudi, o filho da empregada que trabalhou 25 anos para a família, é seu melhor amigo. Mas ele não é judeu. E aí que chega a guerra e Rudi vai trabalhar de oficial da SS.

Os problemas começam quando chega aos ouvidos dos nazistas que a família Kauffman possui um desenho original de Michelangelo. Mussolini, como todo bom líder fascista, é fã de arte. Os nazistas decidem, então, dar o desenho de regalo para o Dulce em uma visita dele à Alemanha.

E aí? Será que o Rudi cagüetou a família Kauffman pra Gestapo?

Esse post foi publicado em Cinema e marcado , . Guardar link permanente.

3 respostas para Filme: Mein bester Feind (2011) ★★★

  1. Suzana disse:

    Desculpe, não consigo comentar no Noblat…Espero não estar sendo inadequada.
    Quanto à sua pergunta sobre eugenia, os “Stephen Hawking”, os anônimos principalmente, têm mais direito de responder.
    Será que a gente consegue mesmo entender o ponto de vista do outro?
    Nossa natureza é egoista. O interesse individual sempre está acima do coletivo.
    Os pais de filhos com paralisia cerebral que conheço não os trocariam por filhos saudáveis.
    Motoristas não toleram ciclistas. Ambos não toleram pedestres.
    Beleza não deve ser régua. Saúde sim? E as pessoas que fazem o bem porque são doentes? Inteligência sim?
    Nossas limitações podem nos tornar mais humildes e tolerantes. A perfeição sempre nos deixa arrogantes.
    Qual deve ser a maior conquista da vida de uma pessoa?
    Mesmo em se sendo ateu, dá para viver sem l Co 13?
    Ia adorar saber o que você acha
    Obrigada pelos textos.

  2. alinesgarbi disse:

    Puxa, será que chega do lado de cá do Atlântico?

  3. Ana Gaspar disse:

    oi Tamine…estou deixando um selinho pra vc…vai lá no blog…beijos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s